Banner M2LC_300x.png
LOGO MOVE2LOWC_Prancheta 1 cópia.png

Projeto Nº: 46117

Designação do projeto: PROGRAMAS MOBILIZADORES

Código do projeto: 14/SI/2019

Objetivo principal: Produzir biocombustível para os setores do transporte aéreo e rodoviário pesado de mercadorias e passageiros. Este projeto permitirá desenvolver racional tecnológico, até TRL 6, e um plano de exploração tecnológica que suporte o investimento na produção de biocombustíveis a uma escala comercial.

Região de intervenção: Norte | Centro | Lisboa | Alentejo

Entidades beneficiárias:

A4F, Algafuel, SA | Associação BIOREF - Laboratório Colaborativo para as Biorrefinarias | Laboratório Nacional de Energia e Geologia – LNEG | APQuímica - Associação Portuguesa da Química, Petroquímica e Refinação | SysAdvance - Sistemas de Engenharia, S.A. | Dourogás Renovável - Produtora de Gás Combustível, S.A | Universidade de Trás os Montes e Alto Douro – UTAD | Instituto Superior Técnico de Lisboa – IST | Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto – UP | Petrogal, S.A. | Biotrend - Inovação e Engenharia Em Biotecnologia S.A | Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa – FCUL | Universidade Nova de Lisboa – NOVA | HYCHEM | Instituto Politécnico de Portalegre – IPP | Universidade do Minho – UMINHO | Raiz - Instituto de Investigação da Floresta e Papel | Redeteca - Construção de Instalações e Redes de Gás S.A.

Data de aprovação: 28 de outubro de 2020

Data de início: 28 de outubro de 2020

Data de conclusão: 30 de junho de 2023

Custo total elegível: 8 275 222,47 €

Apoio financeiro da União Europeia: 4 641 491,52 €

 

Objetivos, atividades e resultados esperados:

No âmbito deste projeto, e como forma de responder ao desafio da descarbonização, acima já explicado, irá então proceder-se à produção de biojetfuel, destinado ao setor da aviação, através de duas formas: (1) a partir da produção autotrófica de microalgas, sendo estas depois sujeitas a um processo de liquefação hidrotérmica com produção de um bio-óleo que por hidrodesoxigenação é convertido em hidrocarbonetos, dando origem ao biojetfuel; e (2) através da produção industrial de biojetfuel a partir de óleos microbianos produzidos por fermentação heterotrófica de hidrolisados a partir de biomassas residuais de natureza florestal. Estes dois métodos de produção de biojetfuel serão o objeto dos PPSs 1 e 2.

Ao nível dos transportes rodoviários, a aposta recairá sobre biocombustíveis à base de hidrogénio (BioH2) e biometano (BioCH4), sendo estes objetos de investigação e inovação do PPS3 e PPS4, respetivamente. A produção de BioH2 e BioCH4 pode ser feita de várias formas, mas ambas as moléculas participam na produção de uma e de outra. BioH2 pode ser produzido a partir de BioCH4 por “steam reforming” e “water gas shift”, sendo que parte do BioCH4 será usado para fornecer energia ao sistema de produção. Por outro lado, BioCH4 pode ser recuperado de aterros, mas também produzido por “metanação” a partir da recuperação de CO2 biogénico ou não-biogénico e H2 sustentável produzido por eletrólise de água recorrendo a energia elétrica solar ou eólica.